quinta-feira, setembro 18, 2008

Os meliantes

Com a galopante onda de violência, somos diariamente brindados com notícias de captura de meliantes. Ou amigos do alheio. Conforme apetecer melhor a quem me lê. Há uma extensa adjectivação que poderá ser utilizada. E os nossos meliantes na rua.

Se em tempos, e ainda verificável em alguns países, aquele que comete a ilicitude é (ou era) castigado publicamente, "por cá", a realidade é diferente. Diferente ao ponto dos criminosos serem postos em liberdade, não havendo o flagrante delito. O que me parece ser um verdadeiro atentado às boas famílias. Aos que pagam impostos. Aos que se levantam cedo para ir trabalhar, e chegam tarde depois de um dia de trabalho. Enfim...aqueles que quando cometem uma infracção de trânsito (estacionamento em cima do passeio, têm de largar quase 200 euros para levantar o carro do parque da polícia ali nas Galinheiras...). E os nossos meliantes na rua.

Hoje, mais uma notícia no jornal da noite (TVI), que um gang da "inbicta" tinha sido capturado. Uns três tipos. Novos. Com bom corpo para o obral...Mas que optaram pelo caminho "A" num dado "cruzamento" da sua vida. O mais fácil, naturalmente. Aquele que contempla o carjacking, homicídios, agressão física, drogas, armas, etc. Aquele que permite o obter dinheiro fácil e sem grande cansaço. Mental, pelo menos. E os nossos meliantes continuam na rua.

E aqui chegamos a um ponto que entendo ser revestido de um mistério grande...se um criminoso é capturado, porque não podem os demais saber quem é? Porque razão teimam em tapar a cara? Alguns, quando assaltam, quando violam, quando matam...têm a cara descoberta...mas na altura do julgamento, tapam-na...nunca entendi muito bem porquê. E os nossos meliantes continuam na rua.

Esta é uma dúvida que me tem feito perder alguns minutos do meu pensamento diário...Mas julgo que não há uma resposta. Ou não haverá uma explicação lógica. Talvez, eventualmente, seja uma questão cultural, comparativamente com os países árabes. E os nossos meliantes continuam na rua.

A escalada da violência continua...

...E os nossos meliantes na rua.