sexta-feira, julho 08, 2011

Fazer omeletes sem ovos

"Fazer omeletes sem ovos" é como o próprio nome indica, fazer o impossível. Remar contra a maré. É o de forma estóica e corajosa enfrentar as vicissitudes e contrariedades da vida. Com verticalidade, com hombridade e muitas vezes sozinho, sem qualquer tipo de apoio. Todos já experimentámos esta sensação.

Pessoalmente falando, serão (e infelizmente), várias as situações com as quais já me deparei e para as quais esta frase curiosa assenta na perfeição. É um pouco o mesmo que pedirem que um carro seja conduzido sem volante ou sem rodas. Se é possível? Claro que é. Mas mais complicado será garantir que se chegue ao destino. Ou pelo menos que o faça durante os próximos 457 anos.

Consequência de uma série de factores, bem como das pressões sociais, concorrenciais (em termos organizacionais) as regras do jogo são claras - nada é ou pode ser impossível. Pede-se às pessoas que hipotequem o seu tempo de Família e de descanso em prol de uma maior produtividade empresarial. Em paralelo, ocorre-me o presente momento em que a tudo isto se junta uma carga fiscal tendencialmente superior, maiores sacrifícios pedidos aos portugueses e claro, no final, uma qualidade de vida severamente comprometida. Mas nada é impossível.

A questão que se coloca, no meu entender, é que as omeletes têm mesmo de ser feitas. Com ou sem ovos. Criatividade é algo que terá de estar sempre presente. Inequivocamente. O que sucede é que por vezes as pessoas não estão preparadas. Nem nunca vão estar. Mas..."dos fracos não reza a história". E nos dias que correm, e na actual "conjuntura sócio-político-económica"...quem não conseguir defender-se ou encontrar formas alternativas de combate ficará naturalmente para trás. Chama-se a isto selecção natural, e só os mais aptos sobreviverão.

Próximo Tema: O Algarve no Verão

2 comentários:

Anónimo disse...

mas existem pessoas que fazem questão de remar contra a maré! ...

Anónimo disse...

quem é o autor desta treta? é algum nazi, ou coisa parecida? quem diabos voçê pensa que é, vá falar em seleção natural? pró ràio que o parta; deve ser algum ricaço armado em importante, só por ter uns "trócos" sabe-se lá de onde vieram? mas atenção,aconselho a começar a gastar dinheiro em segurança pessoal! porque os pobres já estão a passar fome...e muitos deles sabem como ír buscar o neçessário para sobreviver,seja onde e como for! "a fome mete a lebre ao caminho", portanto esqueça tudo o que acredita sobre a sua selecção natural,porque até pode a vir ser parte do "menu",de algum esfomeado, mais hàbil, a tentar pertençer á tal sua selecção.(PS :após as batalhas,só os mais fortes sobrevivem sobrevivem).
Como tem seleção de comentários, não bloqueie o meu, publique!