sábado, julho 09, 2011

Matinés

Quem nunca foi a uma matiné não pode é boa gente. Eu devo ter ido a uma dezena. Donde só posso ser uma óptima pessoa, pois claro.

Para quem não sabe, a ida à matiné é em tudo similar na ida à discoteca. Contudo, em vez de se ir para a discoteca às 0200H (como é frequente hoje em dia), ia-se às 1600H. Pois é. Estranho? Não. Na altura era a solução ideal para quem tinha problemas em sair à noite. Também eu tive alguns até certo momento. Momento esse que referencio como sendo aquele em que os meus Pais "conseguiram" argumentar e fazer valer o seu ponto de vista sábio e naturalmente mais ponderado. A partir desse momento (ou idade, se preferirem), a conversa passou a ser outra. E a vida ganhou côr.

Hoje em dia, e à distância de mais de duas décadas, consigo facilmente perceber que o ir a uma discoteca da parte da tarde é como pensar em bronzear-se numa qualquer praia durante a madrugada. Não faz sentido. Para começar, ir para uma discoteca da parte da tarde é sinónimo de não se "lavar a vista". E é sabido que qualquer pessoa gosta disso. O gostar de dançar é a treta da desculpa mais utilizada. A verdade é que as pessoas gostam de ver pessoas bonitas. E claro que a noite tem magia. Ou não fosses todos os gatos pardos nesta altura do dia..

Presença certa nestas andanças era mesmo o chato do Ricardo, colega de carteira, que por não ser bafejado pela sorte com as miúdas achava que devia apostar na Amizade comigo. Não descolando..tipo "lapa". É claro que isso condicionava em muito a minha abordagem com o sexo oposto. Tinha sempre o "secretário" por perto.
Não sei muito bem se hoje em dia ainda há as tão famosas matinés. Julgo que sim. Mas também acredito que sejam cada vez mais raras. Há uns anos atrás havia discotecas que conseguiam ter dois tipos de clientelas distintas e em diferentes momentos do dia e da semana. Mas vivíamos noutra altura. Era possível nessa altura ver gerações diferentes de irmãos que frequentavam o mesmo local em dias e horários diferentes. Hoje em dia é cada vez mais raro.

Próximo Tema: Primos e Primas

Sem comentários: