quarta-feira, julho 06, 2011

Sentimento de Posse

Desde tenra idade que me foi incutido (bem como ao meu irmão) a noção de partilha. Ou seja, o sentimento de posse de um bem material é algo distante na minha concepção. Mas a reflexão de hoje não versa em concreto o sentimento de posse de bens materiais, mas sim o sentimento de posse para com alguém.

Todos conhecemos casos em que o sentimento de posse de alguém por outrem extrapola ou extrapolou o limite do razoável. O que começa por ser algo bonito, intenso e agradável, na medida em que se sente desejo, vontade de estar, "presença", pode tornar-se ao longo do tempo um verdadeiro e comprometedor pesadelo. Não falo naturalmente nos primeiros meses ou anos de uma relação, em que se assiste ao chamado "Período de graça" e no qual tudo corre bem - como aqui desenvolvi há dias. Falo no momento "pós". Falo no momento em que, uma das partes, eventualmente menos razoável entende que não sente verdadeiramente que o outro lado esteja num processo de entrega na relação como o seu. E...surge então o sentimento de posse. Algo marcado pela intensidade de sensações más que são vivenciadas, pelo desgaste emocional e que em alguns casos pode mesmo passar pela violência física. Até ao crime passional : "Se não és minha/meu não serás de mais ninguém".

O sentimento de posse, nos moldes que refiro acima, pode assumir contornos que nem sempre é possível que sejam resolvidos no seio do casal. Pode suceder que seja necessária a intervenção externa (médica), com o objectivo de detectar a causa de tal descompensação e acção subsequente em conformidade. Noutros casos, e nos tais casos mais extremados, poderá ser chamada a intervir a autoridade policial competente.

Em jeito de conclusão, julgo que a conjunção de palavras "sentimento de posse" tem associada uma conotação pejorativa. Não consigo perceber quais as vantagens, mas consigo avançar as desvantagens. Em todo o caso, julgo que importa que ao mínimo sinal deste tipo de sentimento, as partes se "sentem" e falem sobre o mesmo, se tal fôr possível e houver espaço para o debate. Que sejam colocados em cima da mesa todos os argumentos tidos como lógicos, naturais, de ambas as partes e que sejam analisados em conjunto. Mais uma vez, só a dois as coisas podem ser entendidas e resolvidas.

Próximo Tema: Fazer omeletes sem ovos

1 comentário:

Cris disse...

Sentimento de posse? Só isso? Mais nada.?
Divagando sentimento de posse é quando alguém pensa que é dono de alguém ou de alguma coisa. Mas, mais de alguém e aí está a cair num enorme erro. Ninguém possui o que não tem.
Crc