sábado, setembro 17, 2011

Os Músculos nas Mulheres

Finda que está a época balnear, posso com total e verdadeira propriedade, afirmar que estamos muito mal. Falando de mim, é notório o árduo trabalho que me espera no ginásio. Depois de muitos anos parado, sem "malhar" e ajudado pelo facto de ter deixado de fumar e das dietas alimentares desequilibradas, o resultado está à vista e a minha proeminência abdominal faz inveja a uma grávida de 3 meses.

Consciente da minha realidade  e do sofrimento que terei de passar nos próximos 20 anos, não posso deixar de tecer alguns comentários ao que me foi dado a ver este ano na praia. Naquela semana (única) em que o tempo ajudou e me permitiu apanhar uns banhos de sol. Pude perceber algumas realidades que até então me eram distantes, na medida em que não ia à praia há algum tempo. A mulher portuguesa deixou de ter pudor. Esta é "a" verdade que aqui e agora partilho. Mas não fico por aqui. Foi-me igualmente dada a oportunidade única de constatar outras duas realidades que me têm feito pensar:  Há mulheres que podem perder o pudor e mulheres que não devem perder o pudor. A confusão na minha cabeça surge quando em ambos os casos o pudor se perde...

No primeiro caso, qualquer ente racional consegue perceber um corpo tonificado, cuidado, uma dieta alimentar regrada e tem associada, consequentemente, uma visão agradável e harmoniosa. É neste restrito grupo de mulheres que se encontram (também) os corpos musculados. Devo dizer que me faz alguma confusão. Começando pelo facto de quase conseguir ver os vasos capilares, de tão musculados são estes corpos. Já vi, não foi ninguém me contou, há alguns anos atrás, uma mulher cuja cintura era mais fina que a minha perna. Fiquei naturalmente a sentir-me um javali obeso quando me deparei com aquela tão musculada filha de Deus. Faz-me espécie este tipo de corpo. Talvez por não estar habituado a este tipo de corpo.

No segundo caso a história é outra. Aqui encontram-se alguns tipos de corpos de mulheres. E gosto muito de ouvir a argumentação. Desde as mulheres que são magérrimas e dizem que estão gordas (não raro começo a hiperventilar e a transferir o peso do corpo de um pé para o outro, quando oiço estas tretas). Passando por aquele grupo de mulheres que "relaxaram" depois da maternidade (a disponibilidade de tempo é menor) e que dizem logo que o corpo fica sempre disforme (consigo hiperventilar, transferir peso do corpo e ainda bater ritmadamente palmas) até às mulheres que pura e simplesmente não têm noção do corpo que têm e audaciosamente brindam quem está na praia com a visão única de usar um fio dental com um rabo que parece um camião TIR (viro-me para o lado oposto, fecho os olhos e tento dormir). A força da gravidade é na generalidade das vezes algo que contribui de forma decisiva para que algumas mulheres percam algumas horas de sono e ganhem alguns cabelos brancos. Não é só aos homens! Nas mulheres, a partir de certa idade, já mostra sinais de estar (ou querer começar) a actuar...

Para concluir, o que interessa é que as pessoas estejam felizes e de bem consigo mesmas. Contudo, quando estão por perto a turma das "meninas-com-os-músculos-todos-trabalhados", a coisa muda de figura. E acredito que dentro do mesmo sexo haja boquinhas de inveja. Ou não...

Próximo Tema: Produtos Light

Sem comentários: