domingo, setembro 25, 2011

Quando o Cliente se atrasa...

...é preciso ter calma (já versa a letra de uma música portuguesa conhecida). Para quem conhece os meandros empresariais, conhece que há duas formas de estar num contrato: ou enquanto Fornecedor ou enquanto Cliente. Frequentemente estou ora num lado ora no outro. Contudo, é enquanto prestador de serviços (Fornecedor) que as coisas configuram situações mais delicadas para mim, e verdadeiros testes à minha paciência e sanidade mental.

Há pouco tempo tive de acompanhar duas inspecções a duas aeronaves efectuadas por um Cliente (equipa de dois técnicos). Em função da disponibilidade das aeronaves, uma das visitas foi programada para o horário diurno (matinal - e ainda assim tive de alterar o horário para mais tarde, porque os dois técnicos entenderam no próprio dia da inspecção matinal que a hora marcada era muito cedo) e outra inspecção para o horário nocturno, momento em que estariam reunidas as condições adequadas para a segunda inspecção. Importa nesta altura informar que os técnicos ficaram hospedados num hotel a cerca de 5 minutos do aeroporto onde teriam lugar as duas inspecções. 

A visita da parte da manhã realizou-se tranquilamente. Em virtude da outra inspecção só se realizar muito mais tarde, aquando da disponibilidade da segunda aeronave, ingenuamente pensei para comigo que o meio de transporte escolhido pelos técnicos entre hotel e aeroporto fosse o usual e clássico táxi (como aliás tinha sido seleccionado no período da manhã). Enganei-me redondamente. Sem conhecer bem a cidade de Lisboa, entenderam alugar um carro. Com GPS, pois claro, julgando que este artefacto electrónico e mágico, miraculosamente os levasse ao destino quando necessário, ou seja, de noite, e para o aeroporto. Isto sem se terem preocupado em fazer reconhecimento de terreno. Durante a tarde (e no intervalo de tempo entre a tal inspecção matinal a uma das aeronaves e a disponibilidade da outra aeronave), os dois camaradas ficaram com toda a certeza a conhecer mais spots turísticos na região da Grande Lisboa que eu próprio. Adiante...

É sabido que trabalho nocturno é sempre cansativo. Mais cansativo se torna quando se começa bem cedo o dia. Que é usualmente o meu caso. Neste dia em concreto, e com receio dos "deslizes", dos atrasos, enfim, dos imponderáveis, esforcei-me ainda mais para que tudo corresse bem. Coordenei esforços com outras equipas de outros departamentos, apelando à disponibilidade das mesmas e consegui erguer um verdadeiro trabalho de equipa do meu lado. O mesmo não posso dizer do lado dos técnicos. Abreviando a história, a inspecção do horário nocturno começou com duas horas e meia de atraso. Sem um telefonema a avisar. Com os telefones de ambos os técnicos desligados . Com mentiras pelo meio, o que só me podia deixar verdadeiramente possesso. Uma coisa é um atraso. Já de si mau e denunciador de falta de carácter e verticalidade. Mas com mentiras e esquemas pelo meio, piora muito a "fotografia".

Com este tão grande atraso, consegui que os ânimos se exaltassem um pouco, embora de forma comedida, e um turno "queimasse" as horas de trabalho e tivesse de ficar (já em horas extraordinárias) à espera dos ilustres. Acabaram por me ligar quando lhes apeteceu. Afinal tinham-se perdido. E a polícia devem tê-los interceptado na medida em que a dada altura falei ao telefone com um agente. Para despachar tudo, fui buscá-los onde estavam e resolvi o problema.

Moral da história...nem um pedido de desculpa, donde, infiro que mais tempo quisessem passear, mais tempo eu teria de ficar à espera. Nem uma justificação para as quase três horas de atraso. Haja boa educação! Por ser o Cliente...consegui contar até 298.000. De trás para a frente e de frente para trás. E correu tudo bem. Felizmente para mim e felizmente para eles! 

Próximo Tema: Metamorfose

Sem comentários: