sábado, outubro 29, 2011

Depilação Masculina

A depilação masculina é uma prática que tem vindo a ganhar cada vez mais adeptos. Tenho vindo a conhecer vários elementos do sexo masculino que têm menos pêlos no corpo inteiro do que eu tenho na cara, pela manhã, antes de me barbear. Consigo aceitar isso. Dificilmente, mas aceito. Antes de continuar, e evitando ferir as susceptibilidades dos mais sensíveis, não tenho nada contra contra os homens que se depilam. É mais higiénico, prático e até concordo que em alguns casos a depilação masculina tenha um propósito objectivo (e necessário), assim seja evitada a partilha da visão das "camisolas de pêlo" e que não raro permitem ligar os pêlos do peito ao queixo...

Consigo conviver pacificamente com a existência de cremes, lâminas e outras máquinas específicas, nas prateleiras de artigos masculinos, para que seja possível aos homens terem as "ferramentas" para se aliviarem de algumas incómodas e inestéticas pilosidades dos seus corpos. A mim, apenas me é exigida a atenção redobrada de aquando da troca de qualquer máquina de barbear, não me enganar e meter no carrinho das compras uma daquelas outras máquinas que permite de forma suave e fácil "eliminar pela raiz" os pêlos do peito. E com a particularidade destes produtos para a depilação masculina estarem nestas prateleiras onde se encontram as vulgares e usuais lâminas de barbear que reclamam durezas próximas das pás do reactor de uma nave espacial.

Em verdadeiro abono da verdade tenho de partilhar que já experimentei uma vez a depilação masculina. Uma lesão na virilha direita, em consequência de um qualquer esforço típico de "macho" (não me recordo se terá sido na musculação ou arte marcial), "atirou-me" para a vulnerável e indefesa condição da marquesa do fisioterapeuta. Três vezes por semana durante um mesito. Com direito a  ter a virilha direita mais lisa que o rabo de um bebé e ainda uma toalha húmida mais quente que as profundezas dos infernos (fazia parte do tratamento),  enquanto o fisioterapeuta me massajava os tendões da virilha de forma tão vigorosa (e dolorosa) como se quisesse arrancar o meu fémur direito.

Como referi anteriormente, não tenho nada contra os homens que se depilam, embora, e como em tudo, possa ter a minha opinião. Se aceito que uma mulher se depile, não vejo razão para que um homem, que não gosta de ver pêlos no seu corpo, não o possa também fazer. Agora...se gosto de ver um homem sem pêlos...já é outra conversa. E outra conversa também será o ver "homens-macaco". Tipo na praia. Haja espelhos e respeito pelos outros, que não são obrigados a ver "asas" nas costas de alguns homens!

Próximo Tema: Poder Paternal

Sem comentários: