quarta-feira, outubro 05, 2011

Peregrinos


Há poucos dias pude experimentar, pela primeira vez na minha vida, a peregrinação a Santiago de Compostela. O programa era ambicioso e conciliava a prática do todo-o-terreno (do qual sou fanático) com uma visita marcada pelo cariz profundamente religioso.

Durante 4 dias experimentei troços "fora de estrada", com um grau de dificuldade muito acessível - troços rápidos - e com paisagens lindíssimas. A título de exemplo, o Parque Nacional Peneda-Gerês e entre outros exemplos do nosso património destacando o singelo mas não menos importante legado existente em Trancoso - ponto de partida deste passeio, o  Mosteiro de Tibães (e outros mosteiros beneditinos, como seja o Mosteiro de S. João d´Arga), e a naturalmente e esplendorosa Catedral de Santiago de Compostela enquanto destino final.

Aliar a prática de todo-o-terreno com uma peregrinação religiosa, exige tempo de preparação, cumprimento de horários, contactos com instituições, alerta das autoridades locais, etc. É obra. Só uma organização com visão e prática na organização deste tipo de eventos poderia levar a "bom porto" uma caravana de 50 carros todo-o-terreno (jipes e suv´s) e cerca de 150 pessoas. Números redondos, foi esta a realidade numérica. Conseguir que tudo corresse bem revelou-se uma tarefa fácil assim se comprovou haver uma estrutura organizativa coesa e profissional.

Tive também a oportunidade de passar por algumas zonas do Norte de Portugal, e que até então me eram totalmente desconhecidas. Falo de Trancoso, Mondim de Basto, Lamego, Ofir e Santiago de Compostela. Quatro dias intensos, e nos quais, além das visitas aos pontos religiosos de paragem obrigatória foi também possível degustar a gastronomia regional e beber as tais "pomadas" tão conhecidas e produzidas nesta zona do País.

Em Santiago de Compostela, destino final deste passeio, é possível experimentar várias sensações. O espírito do peregrino - são várias as línguas que se ouvem falar e a possibilidade de nos apercebermos de uma mescla de culturas. Santiago é onde também está localizado um importante pólo universitário e que congrega uma faculdade de medicina e de economia. É portanto tornado possível respirar o jovial e simpático ambiente académico. 

Contrariamente ao que acontece em Portugal, os espanhóis fazem gosto em abordar quem passa nas ruas para experimentar algum petisco que têm na sua loja, café ou restaurante. O que não deixa de ter a sua piada e reflectir a boa disposição enquanto povo anfitrião.

Por último, e como não podia deixar de ser, a imponente e importante componente religiosa associada a este apóstolo de Jesus Cristo. A catedral majestosa, dar o célebre abraço ao busto de Santiago de Compostela, a visita guiada com narração histórica a toda a catedral e no final uma celebração religiosa presidida pelo Bispo da Guarda com a habitual queima do incenso no "Botafumeiro".

A repetir!!

Próximo Tema: Feira de Imobiliário

Sem comentários: