domingo, novembro 06, 2011

Corta-unhas

Há uns dias atrás aquando da minha viagem a pé numa determinada rua, e profundamente metido com os meus pensamentos, comecei a ouvir um barulho característico. De imediato a minha atenção focou-se na tentativa identificar a origem desse tal barulho. Sem êxito. Imagine-se o filme: uma rua silenciosa durante uns breves instantes (não passava nenhum carro ou mota), eu a deslocar-me e o som do barulho a aumentar - consequência de eu estar a encaminhar-me na direcção do mesmo.

Volvidos alguns segundos consegui finalmente identificar a origem do barulho. Um corta-unhas habilmente utilizado por um taxista, de pé, ao lado do seu bólide mais brilhante que uma salva de prata acabada de polir. Lembro-me de a dado momento ter tido de me desviar, para não ser atingido por um bocado de unha do polegar deste profissional da condução, projectada a uma velocidade e altura consideráveis. Imagino o estrago que teria feito na minha cara se me tem atingido...Dou comigo igualmente a pensar o porquê de ver com muita frequência estes motoristas a arranjar as unhas. Será que conduzir um carro da praça durante várias horas seguidas faz com que as unhas das mãos de alguém cresçam mais do outra pessoa que não conduz tantas horas? Será que a dada altura vão encostar o carro num local qualquer e vão também dar um "jeito" nas unhas dos pés? Penso nisso.

É muito interessante e lúdico assistir a este tipo de espectáculo realizado no meio da via pública. Aliás, ocorre-me de imediato que ninguém me diria nada se um destes dias me apetecesse lavar os dentes ou barbear-me enquanto passeio o Paco. Afinal, são eventos relacionados com a minha higiene pessoal e que atestam que estou perfeitamente integrado numa sociedade que se quer constituída por pessoas com este tipo de preocupação.

A ver se não me esqueço de o fazer amanhã de manhã. E garanto que ninguém vai dizer nada!

Próximo Tema: Panquecas

Sem comentários: