domingo, dezembro 11, 2011

Saber ser humilde...

Um dos aspectos que importa ou que deve ser "afinado" com o passar do tempo é efectivamente o saber ser humilde. Incentivar a capacidade ou a disponibilidade para aceitar uma crítica ou para aprender. É isto a que me refiro. Mas nem sempre é assim.

Saber ser humilde implica, em algum momento, ser detentor de um poder de encaixe razoável, o que como se sabe é complicado. Alguém que me diga que gosta de ouvir críticas depreciativas acerca da forma como trabalha. Ou comentários ao facto de ostensivamente chegar atrasado ao trabalho (se bem que esta até é bem metida), ou ainda de ser uma pessoa acomodada e sem visão de futuro. A resposta parece-me lógica e directa. Ninguém.

A admissão do erro é meio caminho para a correcção do mesmo. É o definitivo "acto de contrição" e que faz a diferença entre uma pessoa que reconhece o erro (e quer mudar) e uma pessoa que ou não reconhece ou não quer reconhecer e que inevitavelmente permanecerá "sem ver a luz" por tempo indefinido, ficando "ancorado" a fantasmas do passado. Será a diferença entre o ser humilde e o mostrar disponibilidade para a mudança ou não o ser e mostrar que pensamentos passados e muito consolidados ou determinados estão presentes, eventualmente em consequência de episódios vividos menos bons. O que nem sempre é bom...e que a jusante comprometem significativamente a capacidade para alguém ser humilde.

Próximo Tema: Ser honesto

Sem comentários: