terça-feira, dezembro 06, 2011

Taser

Para quem nunca ouviu falar dos tasers, não são mais do que armas capazes de libertar uma descarga eléctrica tal, que podem causar a dormência da zona onde os eléctrodos tocam, ou mesmo o desmaio do agressor (ou marido traidor) durante alguns largos minutos, permitindo assim sová-lo ou castigá-lo pelo crime cometido.

Os tasers são comummente utilizados pelas autoridades policiais lá fora. Embora mais uma vez se façam ouvir as Ligas que defendem os Direitos Humanos, não se ouve falar tanto como nos casos do recurso às habituais armas de fogo. Afinal, depois de levar com os eléctrodos, que pode culminar em desmaio, a vítima acorda e continua viva. Já com um tiro certeiro num coração as probabilidades de ficar cá para contar o sucedido diminuem consideravelmente . 

Nos Estados Unidos, por exemplo, pretende-se inverter a curva exponencial de americanos com armas de fogo em casa. O taser começa a ser muito utilizado como dispositivo de defesa pessoal. Em alguns casos há mais que uma arma em casa, mais que duas armas...em alguns casos mais de uma dezena de armas. A legislação norte americana é diferente da portuguesa, e é permitido a um cidadão deste país, (sendo maior de idade) comprar uma arma.

O taser é considerado "arma" na medida em que há registo de casos mortais. O princípio é basicamente o mesmo. Dois eléctrodos, ligados a dois fios de cobre que podem ter quatro, seis, oito ou dez metros. Ao disparar, são lançados os dois eléctrodos, que ao atingir a vitima, fazem uma descarga eléctrica durante 5 segundos, imobilizando o alvo. Findo esse tempo, e mantendo-se pressionado o gatilho, há uma descarga disparada a cada 1,5 segundos. Após o disparo, os eléctrodos e os fios são descartados, sendo trocados efectuar novo disparo. Pode-se acoplar ao taser uma lanterna táctica e mira  laser, para evitar erros acidentais. Há modelos que imobilizam a vitima, independente da resistência à electricidade do alvo e da área atingida, pois devido à descarga ser intra-muscular,vai agir directo no sistema nervoso central, fazendo com que o alvo fique em posição fetal...

Nos dias que correm, com a escala da violência, sei que serão muitas as pessoas a comprar um dispositivo destes, em vez da habitual pistola (necessária licença de uso e porte de arma). Não deve ser nada agradável levar com uns milhares de volts no corpo. Nada mesmo.

Próximo Tema: A gota de água

Sem comentários: