domingo, agosto 05, 2012

Tudo o que são concursos televisivos têm o dom de me deixar nauseado. Seja pela burrice dos concorrentes, seja pelo humor vulgar e fácil dos apresentadores, seja ainda pelo ridículo da generalidade dos concursos em si e que não interessam nada a ninguém.

Mas há um concurso que na minha humilde opinião se destaca dos outros - o euromilhões. Não quero com isto dizer que tenha definido para mim o cumprimento da tarefa semanal de apostar neste jogo da Santa Casa da Misericórdia (SCM). Mas sendo um jogo que poderá conduzir a uma mudança de 180º na vida de alguém, faz sentido equacionar esta hipótese. E sempre que me lembro jogo. O que é raro, tenho de confessar (o lembrar-me de jogar).

Quando numa semana se ouve falar mais do "jackpot" das centenas de milhões de euros do que os jogos olímpicos que decorrem neste momento em Londres...faz sentido que a minha atenção seja focada neste concurso específico. Ainda por cima com "jackpot". E assim foi. Até ao primeiro sorteio televisivo.

Estava a jantar. Na medida em que não tinha jogado nessa semana estava apenas curioso para saber se o 1º prémio ía sair cá em Portugal. Acho que costumam dizer isso no final de terem saído todas as bolas. E fui assistindo à saída das mesmas. Tudo isto presenciado por, segundo disse a esbelta apresentadora,  "auditores externos" que garantem a idoneidade e legitimidade do concurso. Fiquei muito mais descansado e com a certeza mais que absoluta que dali só viria a verdade e nada mais que isso.

O que aconteceu a seguir fez-me lembrar um daqueles filmes do oculto que de vez em quando passam a desoras na RTP2. A apresentadora ía informando os números das bolas que saíam daquela rotativa metálica (cujo nome não me ocorre agora) e não é que todos os números que disse....nenhum correspondia ao número da esfera que tinha saído? Cinco (5) números e ainda os outros dois (2) números  das "estrelas". Nada correspondia ao que eu tinha acabado de ver sair da tal rotativa. Comecei a pensar que talvez estivesse a ouvir mal e que tinha enlouquecido.

Este concurso teve lugar a meio do telejornal. Lembro-me do apresentador ter ficado igualmente estupefacto. Fiquei mais descansado e ele também  - aposto que tinha apostado. É normal que os dez (10) milhões de portugueses que ansiosamente aguardavam o resultado deste concurso e que poderia ter alterado o rumo das suas vidas tivessem ficado pouco satisfeitos. Ainda para mais aqueles que jogam no euromilhões seguindo uma lógica e hábito semanal. 

Entretanto devem ter dito ao apresentador que se tratava de uma gravação de um concurso anterior. Questiono-me: Não terá sido abalada para sempre a credibilidade deste tipo de concurso? Quem me garante que tudo isto não é(foi) uma falácia? Ou que os tais auditores externos são figurantes e que foram apanhados numa paragem de autocarro do Cais do Sodré? Que auditam estas auditores? Que formação têm em auditoria? Não entendo. Não percebo.

Mas também devo ser das poucas pessoas preocupadas com este facto. Aposto.

Sem comentários: