domingo, abril 28, 2013

Muito frequentemente temos frango assado lá em casa como refeição. Não confundir frango assado com frango no espeto. Estou  mesmo a falar do frango assado.
Durante anos "gastou-se" de uma churrasqueira perto da Igreja lá de Benfica. Acho que ainda existe e certamente terá um aspecto melhor (e mais actual) do que aquele aspecto que tinha há uns 25 anos atrás. Ir à dita churrasqueira e não vir com a roupa "medalhada" (com gordura ou carvão) era tão provável quanto o nosso digníssimo Presidente da República recandidatar-se amanhã e vencer as eleições presidenciais. Era bem notório o excesso de massa grafitada preta, utilizado para o bom rolamento dos suportes das grelhas nos casquilhos do forno grelhador. Lembro-me também que o empregado - o Raimundo - (nunca cheguei a perceber se era dono ou não da churrasqueira) era um sportinguista ferrenho. Tenho de memória ir buscar uns frangos e ouvir várias vezes na telefonia (por cima do forno) o relato da "bola" e instintivamente olhar para o leão do galhardete. Em vez do habitual pêlo dourado característico destes grandes felinos tinha-o bem preto, qual pantera, em consequência da fuligem proveniente do forno (que acho que nunca se apagou em décadas que lá fui buscar os meus frangos assados). Outra particularidade era o facto do Raimundo, em 20 anos seguidos que lá fui buscar frangos, me chamar "Pedro". Não obstante eu lhe dizer sempre que não era esse o meu nome. Mas conviremos que ouvir uma voz vinda por baixo do balcão (através do qual só era possível ver a ponta dos cabelos do remoinho) terá tanta credibilidade quanto o nosso Primeiro Ministro referir que Portugal não se encontra num "pântano" económico.
Já comi vários tipos de frangos assados. Gosto deles simples, sem invenções de "molho de manteiga com limão" ou do piri-piri que usualmente me costuma dar a volta à barriga.  A condimentar, faço-o à mesa. Apenas 8 gotas de "Tabasco". Batatas fritas sempre, mas sempre "às rodelas", preferencialmente fritas no momento. Quanto mais queimadas melhor. E claro, a bebida gaseificada para acompanhar.
Frango assado apenas e só acompanha com "Coca-Cola", "Sprite" ou, em alternativa, uma "loira gelada". Água e sumos de fruta funcionam como "venenos" e deturpam por completo o sabor do frango assado.
Não gosto dos frangos assados demasiado...."cozidos". Mastigar uma folha de papel seca ao Sol será certamente mais interessante que mastigar um frango demasiado assado. Daí ser necessária alguma paciência e intuição para se "virar frangos". Não tenho dúvidas nenhumas relativamente a isto. E daí estar em permanente avaliação de 3,4 casas. A melhor será onde passarei a ir buscar os meus frangos assados. Obviamente.

Sem comentários: