domingo, maio 12, 2013

É conhecido o meu ódio de estimação pelo futebol. Começando pelos vencimentos com "6 zeros" auferidos pelos jogadores, passando pelo facto de não saberem falar português (alguns deles até há uns anos falavam de si na 3ª pessoa do singular) e terminando nas "clubites", fenómeno que parece afectar todos os clubes de futebol, especialmente as claques dos 3 grandes e que faz aquele grupo de macacos mais irrequietos do Jardim Zoológico parecerem monges tibetanos em profunda meditação.
Por partes. Os vencimentos. Já aqui falei sobre este tema. O melhor argumento que usualmente me "vendem" (e eventualmente incontornável), tem que ver com o facto dos vencimentos dos jogadores serem possíveis por via das receitas de bilheteira, prémios de jogo e patrocínios. Não discordo e até aceito. Mas subsiste uma dúvida existencial: será que os descontos para a segurança social, "irs" e sobretaxa (troika) são também aplicados nos vencimentos dos jogadores? É que uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa, como dizia o outro. Não me incomoda absolutamente nada que um futebolista se vanglorie em ganhar 70 ou 80 mil euros por mês (ou até mais) se mensalmente também incidir o "pack" de descontos/impostos que habitualmente delapida o vencimento de um normal e honrado contribuinte português. Normalmente, para esta minha dúvida já ninguém tem resposta. Já não falando do facto de nunca se ter visto publicada a folha de "irs" de um futebolista qualquer de um clube da 1ª divisão. Um qualquer. E mais...o gosto dos portugueses pelo futebol é tão grande que se acaba por "desculpar" estes "pequenos" esquecimentos e/ou falta de informação tributária precisa e oficial destes contribuintes. Conquanto um jogador em causa jogue bem e ganhe aos adversários. Para ganhar o campeonato. Enquanto isto..o País afunda-se. E em grande parte devido à falta de rigor no cruzamento e aplicação das ferramentas legais para que, também, estes cidadãos portugueses sejam devidamente investigados e taxados. Não basta conceder a nacionalidade portuguesa. É também importante que os direitos e deveres dos cidadãos portugueses sejam cabalmente cumpridos. E um deles é precisamente o pagamento de impostos.
A língua portuguesa. Com muita frequência é-me dito por quem gosta de futebol que os jogadores são pagos para jogar futebol e não para falar ou escrever bem o português. Permitam-me discordar desta questão. Sou português, vivo em Portugal e gosto de escrever e falar bem a língua portuguesa. E faço ponto de honra nisso. Sem acordos ortográficos. Infelizmente tenho percebido que este prazer não é partilhado pelos jogadores de futebol. Os poucos que falam nos "media" têm uma notória dificuldade em fazê-lo: eu próprio não o conseguiria fazer após 90 minutos de corrida atrás de uma bola, mas também porque as equipas dos 3 grandes são maioritariamente constituídas por...estrangeiros. Esta é a verdade. A rotatividade em alguns casos é de tal forma rápida que acabam por não ter tempo de aprender as regras básicas da gramática portuguesa ou como falar em público sem proferir as habituais calinadas e conseguir os atropelos à linguagem camoniana.
As "clubites". Faz-me muita impressão as pessoas que ficam descompensadas ao ver um jogo de futebol. Aliás, não consigo compreender como há pessoas que ficam à beira de um "avc" pelo seu clube não marcar ou de ter sofrido um golo. Mas há mais. As claques. Pessoalmente compreendo o conceito de claque enquanto suporte de determinada equipa. Faz sentido. Há adeptos que acompanham o seu clube para todo o sítio onde o mesmo terá de jogar. Mas infelizmente há adeptos que padecendo da tal "clubite" sentem necessidade de extravazar a mesma evitando assim problemas de saúde graves. Como? Destruindo o interior de um comboio. Arremessando calhaus contra os autocarros da equipa adversária. Linchando os adeptos da outra equipa. E por aí adiante. Não entendo o porquê de tanta agressividade. Da mesma forma que não entendo o porquê de tanta raiva acumulada para com UM dos três grandes por parte dos adeptos dos outros dois clubes. Não se entende. Como dizia alguém....é no estádio que se esquecem os problemas. Eu consigo encontrar muitas alternativas. Mas  será sempre a minha opinião pessoal.

Sem comentários: