domingo, dezembro 01, 2013

Ajudar a Estacionar

No outro dia reparei em algo que certamente já aconteceu reparar a muito boa gente que conduz. As ajudas no estacionamento. Se a memória não me trai já aqui dei nota de ser a única pessoa do mundo inteiro que consegue estacionar logo à primeira (e bem) para "o lado esquerdo". Ou seja, estacionar entre dois carros que estão do "meu lado" da rua ou lado esquerdo da via. Se porventura o lugar estiver situado do lado direito do carro a coisa raramente me corre de feição. E demoro algum tempo entre avanços e recuos até conseguir arrumar o carro. Até hoje, e com quase 20 anos de carta de condução, penso para comigo mesmo como consegui eu estacionar o carro da condução se não tivesse conhecido o truque dos autocolantes no vidro traseiro! E aqui chegamos às tais ajudas nas manobras de estacionamento.
Uma das ajudas ao estacionamento que frequentemente se vê por Lisboa é efectivamente a praga dos arrumadores ou "carochos" (como alguns amigos meus carinhosamente os denominam). Na sua maioria são toxicodependentes ou sem-abrigo que ganham bem mais que eu no final de um dia e não raro, estando naturalmente muito ocupados a arrumar um carro a quilómetros de distância...aparecem para receber a "renda" depois de eu já ter estacionado o carro sozinho...sabe Deus com que esforço. O que os "carochos" não sabem é que aquilo que me faz dar a moeda ou não...é simplesmente o carro que acabei de estacionar. Se estiver com o jipe não dou. Se estiver com a carrinha dou. Simples e "sem espinhas". Uma forma de exterminar esta praga seria licenciar os arrumadores. Como aliás aconteceu em algumas zonas do município do Porto.
Aquilo que quero partilhar é a outra forma de estacionamento e eventualmente mais antiga que o António Sala ou a Olga. Quando alguém que segue connosco de carro prontamente se voluntaria para ajudar no estacionamento. E no meu caso, quando tenho de estacionar para o "tal" lado direito, estar lá uma pessoa a ajudar ou estar um marco do correio...é a mesmíssima coisa. Não dá. Não funciona. Não resulta. Mas sim, assumo que possa dar algum jeito ter alguém a ajudar-nos. Mas vejamos com mais detalhe para ver se consigo explanar a minha tese.
Quando alguém sai do carro e se coloca feito "mono" no passeio, de mãos nos bolsos, a ajudar ao estacionamento não está a ajudar nada. Porquê? Simples. Porque quem está a conduzir está mais preocupado em não encurtar o tamanho do carro em consequência de se ter enfiado debaixo do carro da frente ou de ter galgado o carro estacionado atrás. Por outro lado, duvido que alguém com o frio que se tem feito sentir nos últimos dias vá querer abrir o vidro para ouvir as indicações para estacionar. Patetice. Claro que não abre! Donde, mais uma vez, a diferença entre estar ali alguém com a melhor das intenções a orientar o estacionamento ou estar um guarda-chuva é zero.
Moral da história: o melhor mesmo é ficar dentro do carro e não se voluntariar para ir ajudar no estacionamento ao frio. Nunca o faço. Ou quando o faço normalmente faço num tom de voz próximo da reza... E colar umas borrachas nos pára-choques dianteiro e traseiro para aqueles que estacionam "de ouvido".

1 comentário:

Anónimo disse...

A dos autocolantes não conhecia, o que me dá uma ajuda fabulosa para estacionar do lado direito é o espelho lateral direito que me permite controlar a distância do passeio de forma a não esfolar as jantes...claro que conheço as medidas do meu carro o que permite que não amachuque a frente e a traseira do meu e dos outros automóveis. Por acaso tenho idéia que estaciono melhor do lado direito...