domingo, dezembro 29, 2013

Prova S. Silvestre 2013

É com orgulho que posso, aqui e agora, dar nota de ter participado ontem na prova "S. Silvestre 2013", patrocinada pelo "El Corte Inglés" (ECI). Eu e mais 7999 atletas provenientes dos mais variados pontos do nosso Pais. E do mundo, na medida em que ouvi outras línguas que não a nossa.
Esta prova culmina um ano de 2013 recheado de participações noutras provas do género. Igualmente sérias bem entendido, mas não com a grandiosidade e projecção mediática que a prova do "S. Silvestre" tem. Para aqueles que me lêem e acabaram de chegar ao Planeta Terra, a prova do  "S. Silvestre" está para as pessoas que correm como o Vaticano está para os católicos. Ou Meca estará para os muçulmanos.
Confesso que quando me iniciei na corrida há dois anos e pouco não ligava muito a este tipo de evento. Preocupava-me mais em controlar a respiração e não passar a ideia às outras pessoas que corriam no mesmo espaço físico que eu que ía morrer com falta de ar daí a dois minutos. Por outro lado, pensava eu, o que interessa, no final, é a prática desportiva e não tanto o mediatismo desta ou daquela prova em particular. Mas as coisas mudam. Como em tudo, de resto. E claro que ambicioso como sou só podia mesmo participar numa prova destas e validar o resultado do meu treino regular ao longo de todo este tempo.
Na Quinta-Feira passada fui ao "ECI" buscar os "kits" de participante. Refiro o plural porque era para ter corrido com 3 colegas (e amigos)..e acabei por ir correr sozinho. Desistiram. Dos fracos não reza a história, costuma apregoar o adágio popular. E é uma grande verdade. Eu inscrevi-me e fui. Sem desculpas. E sem mais comentários para quem se desculpa com o excesso de trabalho para a não prática do exercício físico. Adiante.
Creio que a prova deste ano registou um recorde histórico de inscrições. Só quem esteve lá poderá atestar o que significa a conjunção de palavras "mar de gente". Das mais variadas idades, sexos e raças. Poderia também dizer "credos" mas isso sugeriria que em algum momento da prova eu tivesse questionado algumas pessoas acerca das suas crenças religiosas! E claro está que não o fiz. Mas gosto deste tipo de pluralidade.
A prova esteve bem organizada justificando o porquê de ser uma das mais conhecidas (e importantes) dentro do género. As saídas dos atletas foram feitas por tempos. Significa isto que havia grupos de pessoas que se inscreveram na prova atestando que perfaziam a distância de 10 quilómetros abaixo do tempo de 40 minutos. Outros inscreveram-se como perfazendo a mesma distância acima dos 60 minutos. Inscrevi-me neste último grupo. Embora a nível de treino esteja a registar tempos significativamente inferiores...teria de evidenciar documentalmente isto aquando da minha inscrição. Porquê? Porque os grupos de pessoas que correm abaixo dos 60 minutos são grupos "rápidos" São pessoas que não estão ali a marcar passo e que têm um objectivo claramente definido - validar publicamente o seu tempo numa prova oficial. E arrependo-me um pouco de não ter feito a inscrição no grupo imediatamente antes daquele em que me inscrevi (acima dos 60 minutos). Ou seja, automaticamente fiquei integrado no grupo de....7000 pessoas. Partindo no final ou a meio deste grupo, nem sei bem,...foi muito complicado ultrapassar e furar os vários grupos de amigalhaços, coxos, pessoas que foram simplesmente ca-m-i-n-h-a-r....etc. Numa prova de corrida!! Mas como refiro acima a responsabilidade foi inteiramente minha. Devia ter pensado nisso e aprendido com a minha corrida anterior (ver meu texto num mês anterior - Night Run).
Como seria de esperar paciência é algo que não se tem quando se treina regularmente e se vai para uma prova destas tentar melhorar tempos. Comecei logo a passar-me logo ao fim de 200 metros após ter sido dada a partida. Não estava a conseguir ultrapassar ninguém e tive de começar a abrir caminho. A maior parte das vezes esgueirando-me entre as várias pessoas...e ao mesmo tempo que saltava (para não ser rasteirado pela passada do atleta que era ultrapassado). Até que cheguei a um ponto em que não conseguia mesmo passar. E tive de "dar um encostozito" a uma menina mais lenta que devia ter joanetes nos pés de tão lentinha era. Importa salientar que este "encostozito" acontece numa altura em que tenho cerca de 80 kg de massa muscular e estou em movimento (segundo as leis da física foi um encosto com quase o dobro do pêso). Claro que a menina deve ter momentaneamente pensado que tinha chegado ao espaço cósmico. Furibunda, o melhor que conseguiu foi fazer-me uma "festazita" nas costas...isto .porque me pulverizei na multidão aos saltos e em corrida. Com o meu gorro preto na cabeça.
O trajecto da prova em si foi muito próximo da última que fiz, no período nocturno, na mesma zona da cidade de Lisboa. Contudo, quase no final, e a subir a Avenida da Liberdade, os meus músculos traíram-me. É verdade. Acontece aos melhores. Quase, quase a chegar ao Marquês de Pombal, e depois de ter corrido quase 9 quilómetros sem parar (aos saltos e com arranques e travagens) tive de parar de correr. Perfiz a distância até ao Marquês a pé e já na rotunda retomei a corrida até à recta da meta sem parar.
Fico contente por ter terminado o ano de 2013 com esta prova exigente. Tirarei algumas conclusões que terei de ter presentes nos meus próximos treinos e porque normalmente corro em plano e nunca com a inclinação que experimentei ontem, na parte final da corrida e depois de ter corrido o que tinha corrido. Mais uma vitória pessoal!

4 comentários:

Anónimo disse...

Que pena... eu teria ido contigo. ;)
Parabéns por teres concretizado mais uma meta.
Happy 2014.

Um beijo,
Loba

Ana disse...

Ler o teu blogue é uma delicia. Concilia dados biográficos com uma visão do mundo atual, cheio de pormenores e detalhes de humor...

Anónimo disse...

Nao entendo porque o sr faz "mau juizo" das pessoas. Porque e indelicado e ate chama nomes inapropriados?!!

Margarida Vargas disse...

Foi uma bela surpresa.Entre aquilo que revelas de
ti ou dados autobiográficos que já alguém citou, como queiras, mas relacionado com acontecimentos que nos incluem a todos, se calhar demasiado preguiçosos, pouco atentos,ou, somente pouco talentosos. Parabéns. Vou continuar a visitar-te se me deres o privilégio do acesso.

Bjo
M