domingo, fevereiro 16, 2014

A bicicleta

Primeiro foi a corrida. Depois o ginásio. E por último, agora, a bicicleta. Carinhosamente, e se mo permitem, dirigir-me-ei à mesma (bicicleta) como "bike". No meio ciclístico é como as bicicletas são denominadas. Na minha altura eram as "biclas". 
Durante muitos anos tive "bikes". Primeiro tive uma "bike" com piscas laterais (que funcionavam). Foi logo a primeira. Mais tarde (e quando o buço já me dava algumas dores de cabeça porque os meus pais não mo deixavam tirar), após ter terminado o 2º ano do ciclo preparatório com boas notas consegui ter uma "bike" diferente. Uma "bike" à homem que sabe o que quer. Tive e gostava muito de andar na mesma. Cheguei a ir ter a casa de algumas apaixonadas que tinha nessa altura de bicicleta. E lembro-me de ter perfeito algumas centenas de quilómetros ao guiador da mesma. Muitos deles no meu tão apreciado Alentejo.
Como não podia deixar de acontecer, "bike" minha só podia estar sempre bem limpa e devidamente oleada. Já na altura pensava para mim mesmo que as mulheres olham para a limpeza do meio de transporte em que os machos se deslocam (e esta minha crença convicta explicará algumas manchas de lubrificante que inadvertidamente caíam no soalho quando oleava a corrente e a minha mãe nunca percebeu como apareciam...).
Pouco antes de tirar a carta de condução abandonei as "bikes". Afinal tinha entrado numa dimensão de prazer totalmente diferente e estava no céu - tinha carta de condução e carro. Já podia pegar num carro e ir até...Bissau tomar um café. E que prazer que retirava eu daquela "bike", os brilharetes que fazia e deliciavam o sexo feminino...foi tudo relegado para um segundo plano. Ainda que fosse perfeitamente conciliável a coexistência da prática ciclística com a condução de um automóvel. Mas não foi assim entendido por mim. E mais de 20 anos depois...voltei às "bikes". 
Voltar às "bikes" é para mim uma sensação que se reveste de uma grande ansiedade, carinho e saudosismo. Afinal, eu SEI o que é andar de "bike". Mas volto a fazê-lo com outra idade/maturidade, com outras pessoas e irei percorrer outros locais ao guiador da minha mais recente aquisição. Que naturalmente andará sempre limpa e bem oleada (preferencialmente numa zona onde o óleo possa cair sem manchar nada). Até já e bons quilómetros!

1 comentário:

Anónimo disse...

Bons passeios...

PAz