domingo, março 09, 2014

A (primeira) queda de bicicleta

Em bom rigor o título do texto de hoje não está correcto. Já perdi a conta do número de vezes que tive "encontros imediatos" com o alcatrão e as minhas pernas e braços reflectem bem essa realidade de tanta vez que já estiveram esfoladas(os). Mas está associada à bicicleta que comprei há pouco tempo.
Esta semana que agora termina tive oportunidade de dar a minha primeira volta de bicicleta. Logo no início alguma reserva e receio na questão dos pedais novos. Estes pedais instalados na minha bicicleta são específicos: têm uma fixação para uns sapatos específicos que comprei. Objectivo: As pernas trabalharem sempre solidariamente com os dois pedais. E esta situação é particularmente importante quando se pedala "fora de estrada". Depois de devidamente equipado (incluindo uns calções específicos com gel na zona do rabo) e com algumas dicas de dois amigos, lá fui andando devagar.
Bem sei que custa andar devagar. Mas tem de ser e faz parte. Ainda por cima andando pela primeira vez com os pés presos a uns pedais. Nunca me tinha acontecido nada do género. Mal comecei a andar experimentei logo pôr e tirar os pés umas 2 ou 3 vezes. Correu bem. Mais 5 metros e decidi experimentar uma travagem de emergência. Como se algo (ou alguém) se tivesse atravessado à minha frente. E travei. Mas não tirei os pés a tempo. Porquê? Porque estavam presos e porque não me ocorreu.
A queda foi quase parado...caí para o lado. Ainda assim...consegui raspar a canela esquerda, ferir o gémeo da perna direita e ainda raspar o cotovelo esquerdo. Demasiado estrago para uma queda tão pequena e tão devagar.
Hoje fui dar uma volta de bicicleta com mais dois amigos (outros que não os da passada 5ª Feira). Uma volta pela cidade de Lisboa até à tão agradável Torre de Belém. Percebi que há muita gente que anda de bicicleta ao Domingo (e noutros dias, na medida em que quando corria...já tinha percebido esta realidade).
Conclusão: andar de bicicleta hoje em dia é bem mais complicado do que era há uns bons anos atrás. Requer mais atenção...e mais cuidado!

2 comentários:

Anónimo disse...

"E travei. Mas não tirei os pés a tempo. Porquê? Porque estavam presos e porque não me ocorreu".
Não te ocorreu! Adorei...só tu, mesmo.

PAz

Anónimo disse...

Carissimo,

Como tudo na vida, há sempre uma primeira vez...