domingo, abril 13, 2014

A troca da bicicleta

Pois é. Como em tudo temos de experimentar algo para, com conhecimento de causa podermos opinar.
Comprei a bicla seguindo uma lógica economicista. Se podia comprar uma bicla que até era (e é) boa (e bem equipada) porquê comprar outra e depois ter de equipá-la? Não fazia sentido na minha cabeça. 
Imbuído na minha lógica de trazer por casa lá comprei a bicla. Não está em causa o não gostar de andar de bicla. Está sim em causa o associar andar de bicicleta a dor e a desconforto. Durante largos dias subsequentes a ter andado de bicla. Dizem-me que é uma questão de hábito....mas infelizmente não me parece que seja razoável (e normal) uma pessoa habituar-se à dor. Conseguem imaginar alguém levar todos os dias com um tijolo na cabeça e habituar-se à dor? Eu não consigo por muito que tente.
Mas há mais. A bicla que tive até há uns dias é tipo..um "Ferrari" do "BTT". Uma bicla para quem sabe o que tem ali, para quem já anda há anos de bicla "BTT" e percebe bem as diferenças existentes entre esta bicla e outra qualquer que teve antes. Faz todo o sentido. Para alguém que sabe como retirar o prazer e utilidade da mesma. E cai por terra a minha lógica que esteve subjacente à aquisição da mesma.
Troquei por uma bicla completamente diferente. Para passear com toda a tranquilidade. Sem pés presos aos pedais. Assim sim. À moda antiga.

2 comentários:

Anónimo disse...

E se há assuntos com os quais não se brinca, o "abono de família" é um deles. Certo?

Só mais uma coisinha, não estou bem certa, mas julgo que em todo o texto aparece 9 X a palavra bicla e 2 bicicleta é caso para dizer < não havia necessidade>.

Por onde andaste? disse...

Também ando a escolher uma bicicleta e estou com o mesmo problema, será que é melhor comprar uma bicicleta "melhorzinha", ou uma mais baratinha mas que será o suficiente?
Dilemas, só dilemas...