domingo, junho 29, 2014

Transladações para o Panteão

Não obstante ser um tema sensível, acredito que a abordagem das transladações mereça uma introspecção séria e madura ao invés da falta de critério que presentemente se tem percebido aquando da decisão da transladação de alguém de um cemitério para o Panteão Nacional.
Pessoalmente, entendo que devem estar sepultados no Panteão Nacional todas aquelas individualidades que de alguma forma se destacaram socialmente em algum domínio e que fizeram com que as fronteiras de Portugal fossem alargadas ao restante globo. Ainda assim, deverá ser bem avaliada a forma como foram essas fronteiras alargadas e de que forma foi ou é efectivada a proeminência de Portugal em consequência desse mesmo alargamento.

domingo, junho 22, 2014

Semana de Férias

Está quase a terminar a minha primeira semana de férias de 2014. É verdade. Estamos a meio do ano e foi a primeira vez que demorei tanto tempo a gozar uns (merecidos) dias de descanso.
Entendi também nesta altura realizar uma bateria de exames médicos que me possibilitassem perceber o estado da "máquina". Sim, é verdade. Uma série de exames que me permitissem perceber se o exercício físico que tenho realizado é adequado para um homem da minha idade. Por partes.
Começo por dizer que me devia ter preparado melhor para o "choque" que é a marcação de exames médicos no Sistema Nacional de Saúde (SNS). Este processo (e no caso do meu centro de saúde) envolve o ter ido de manhã, antes das 0800H, agendar uma consulta (que teria lugar na parte da tarde do mesmo dia) e para que a minha médica de família me facultasse as requisições para os exames médicos. Já não falando no facto de no dia anterior ter ido ao centro de saúde, às 0900H e  me ter sido dito que teria de  lá voltar no dia seguinte para a tal marcação da consulta. O que naturalmente acabou por acontecer. Um dia de férias bem passado.
O dia para o qual consegui vaga para a realização dos exames (agora no privado) também teve aspectos engraçados. Tive de estar às 0800H no centro da cidade para entrega da 1ª urina da manhã e para tirar sangue. Da parte da tarde tive de lá regressar para realizar os 3 exames restantes. Mais um dia de férias em pleno. 
No última dia (útil) da semana agendei a limpeza da boca. Tinha mesmo de ser. Há quase um ano que não o fazia e por razões óbvias importante que o faça regularmente. Não só por questões de higiene bucal bem como para minha tranquilidade mental. A higienista acabou por atrasar-se e demorei mais 1,5 horas do que tinha previsto.
A saga terminou com a dádiva de sangue ontem. É verdade. Mais uma vez fui dar sangue. Entendo ser um gesto meu que poderá salvar uma vida. E no meio de uma boa disposição com as enfermeiras..lá doei o sangue! E assim voaram mais umas horas do meu descanso!
Resumindo e baralhando....tirei uma semana para cuidar de mim. Conseguir treinar nos habituais dias. Olhando para trás...não podia ter feito as coisas de outra forma!

domingo, junho 15, 2014

O(s) pedido(s) de desculpa (que não houve)...

Portugal acabou por ficar pelo caminho no Mundial de futebol do Brasil. Da mesma forma que ficou a Espanha, a Inglaterra e outras selecções nacionais de futebol que ninguém esperava que fossem eliminadas promovendo outras selecções que ninguém dava nada pelas mesmas.
Depois de tanta mediatização à nossa escala de pequeno País, seria natural e expectável ter sido feito um pedido de desculpa público por parte do seleccionador/treinador da selecção portuguesa e do capitão da mesma selecção. Afinal, este último até foi considerado o melhor jogador do mundo. Donde, não se espera menos do que a excelência em campo e a humildade para assumir uma prestação menos boa e retratar-se perante o seu País. 
Assumir publicamente os erros/pedir desculpa não torna ninguém menos capaz. Demonstra integridade. Verticalidade. E afasta os "pseudo-vedetismos" que muitas vezes se percebem.

domingo, junho 08, 2014

A máquina maldita

A cena passou-se há bocado, num "Elefante Azul" ali em Loures. Depois de ter metido 2 euros em moedas a máquina deixou de funcionar. E o carro cheio de sabão. Procurei o rapaz que costuma andar por lá e nem sinal dele. Fui então à bomba de gasolina e abordei o homem da bomba que preparava para abastecer um carro de um cliente:
- Boa tarde. Pode por favor indicar-me onde está o rapaz das lavagens? A máquina que estou a utilizar ficou com 2 euros em moedas.
- Ah, pois. Acontece. Não pagam ao rapaz e ele não está cá sempre, responde o gasolineiro com um sorriso condescendente.
- Parece-me legítimo. Mas então temos um problema..a máquina ficou-me com 2 euros. E agora? insisti eu.
- Ah...é ter paciência, retorquiu o simpático homem.
- Concerteza. Paciência....boa tarde então, disse eu afastando-me.
Voltei para o carro ensaboado. Entretanto reparei que todas as outras máquinas de lavagem estavam com fila...Preparava para entrar no carro e ir para uma fila, quando voltei atrás e dei duas murraças bem metidas na máquina. Sairam de imediato os 2 euros. Acabei de lavar o carro com toda a calma. Aliás, parece-me que os intervalos de utilização ficaram mais dilatados. E a máquina amolgada. Mas a funcionar. É ter paciência!! Bom resto de Domingo.

domingo, junho 01, 2014

Os(as) cobardolas...

Se há traço de personalidade que me deixa fora de mim é a cobardia. Nunca fui, não sou e nunca o serei. Mas percebo que há muita gente que o é e vive com aparente tranquilidade com essa questão. Passo a explicar.
Aqueles que, como eu, têm um espaço público de partilha de opinião pessoal (como é o caso de um blogue), sujeitam-se a ler críticas boas e críticas menos boas. Afinal trata-se de um espaço público. As coisas são mesmo assim.
Mas gostava de aqui deixar uma clarificação para aqueles(as) que optam pelas críticas anónimas. E que recebo com regularidade e como forma de me (teoricamente) me "atingir". Ganhem juízo.
Compreendo que haja pessoas que sejam fracas de cabeça. Parece-me aceitável estas pessoas optem por recorrer a um meio "fácil" e "básico" para me fazer chegar mensagens. Não deixa de ser o reflexo de mentes curtas e mesquinhas. Vale o que vale...e garantidamente que não pensam que as mesmas sejam completamente anónimas. Há formas muito simples de perceber quem são essas pessoas. E ao alcance de qualquer um (falo do tracking).
Da minha parte, e como até aqui, pautar-me-ei pela frontalidade e transparência. E continuarei a partilhar com quem me segue todos os comentários. Quer sejam abonatórios quer sejam pejorativos. Gosto que me critiquem (bem ou mal). Como dizia alguém há uns tempos atrás..não me importa que falem bem ou mal de mim. Desde que falem.