domingo, agosto 17, 2014

Dieta e fraqueza

Em tempos referi aqui no blogue que uma das componentes essenciais para uma boa condição física é sem dúvida a dieta alimentar. O que se come (e bebe naturalmente) irá contribuir para serem alcançados mais (ou menos) rapidamente os resultados pretendidos. O objectivo a que nos propomos, se quiserem.
Desde há alguns meses a esta parte que tento(ei) eliminar da minha dieta alimentar os alimentos que sei serem prejudiciais. Falo dos açucares (incluindo bebidas gaseificadas) e os hidratos de carbono, ou seja, alimentos transformados.
Acontece que para que isto acontecesse seria necessário que habitasse numa gruta isolado do resto do mundo durante toda a minha vida. Não só porque Portugal é um País cuja gastronomia é mediterrânica (logo pouco permeável a dietas rigorosíssimas) bem como considero que seja complexo, em determinados contextos sociais, ser disciplinado ou remar contra a maré. Por exemplo, tenho para mim que seja complicado pedir uma taça com uma generosa e fresca salada de atum e ovo cozido num jantar de amigalhaços num rodízio de carne regado com uma refrescante cerveja acabada de tirar.
Ou seja, é tudo uma questão de disciplina. Onde quero chegar é que também eu tenho os meus (vários) momentos de fraqueza. Não obstante haver um consequente sentimento de culpa - afinal treino todos os dias como se não houvesse amanhã e só eu e Deus sabemos o que me custa algumas vezes sair do conforto do lar depois de um dia cansativo - cometo alguns pecadilhos quando me delicio com um gelado do meu tamanho ou bebo uma coca-cola (zero) gelada num dia de calor. Bem sei que com o meu exercício semanal me posso dar ao luxo de cometer este tipo de pecados pontuais. Mas era tão melhor se lhes conseguisse resistir!!! 

Sem comentários: