domingo, agosto 31, 2014

As séries televisivas...

Desde há muitos anos a esta parte que o fenómeno das séries televisivas me passou sempre muito ao lado. Muitíssimo, para ser verdadeiro. Porquê? Porque tenho um "quid pro quo" significativo e latente com o mundo informático em geral. Não nos damos bem. Aliás, nunca nos demos. E como tal, o que toda a minha gente faz desde há muito tempo....eu nunca fiz. Nunca vi séries na internet. Nunca soube ou aprendi como fazê-lo. Até há uns dois meses atrás.
A minha vida mudou nessa altura. Encontrei forma de ver as séries televisivas (umas mais recentes e outras menos recentes) quando nunca o tinha feito. E filmes. Alguns ainda em cartaz (exibição). E foi-me tornado possível a percepção de uma realidade completamente diferente daquela por mim conhecida.
Escolho as séries (vejo mais séries que filmes) pelo que leio na sinopse das mesmas. Quase sempre é assim. Constato também que tenho pontaria para escolher séries que já passaram há alguns anos na televisão (e cuja emissão até já foi interrompida por via de terem terminado) ou pior, séries que ainda estão em exibição. O que como se imagina, me deixa maluco. Porquê? Porque me envolvo na série. Porque quase todas elas têm aquele irritante final de "suspense" que nos faz querer mais e mais e razão pela qual vamos dormir às 0230H da matina. E não existe mais episódios disponíveis!
Tenho uma teoria para tudo isto, como não podia deixar de ser. Como nunca tinha experimentado esta sensação de liberdade (leia-se de poder ver o que me apetecer quando me apetecer e me der a vontade) estou completamente viciado. E passo horas (mais ainda) no pc. Absorto nos enredos. Com as naturais e óbvias consequências - queixas de não sociabilização!

Sem comentários: