domingo, janeiro 18, 2015

Os detalhes

Diariamente lidamos e observamos objectos que fazem parte do nosso quotidiano. Falo do telemóvel. De um casaco. De um par de sapatos. Falo das chaves de casa, do comando da televisão e por aí adiante. São objectos que fazem com toda a certeza parte da nossa vida. O nosso cérebro não faz mais do que processar o que os nossos olhos vêem e identificá-los e nomeá-los como sendo algo nosso. Algo que comprámos para um determinado fim ou propósito.
Por vezes, quando olho para um determinado objecto, penso não só no seu formato (design) mas também tento, com alguma paciência e espírito aberto, tentar perceber o que iria na mente da pessoa (ou equipa de pessoas) quando idealizaram aquele objecto em concreto. Há um exemplo que gosto de dar (por razões óbvias).
Pensem num determinado automóvel. Pode ser o vosso, se tiverem. Se não tiverem também podem pensar num qualquer carro que vos agrade. Um dia que tenham tempo (e se prestem a realizar isto) dediquem 3-4 minutos a olhar para os detalhes. Por exemplo, o formato dos faróis traseiros e o enquadramento com o resto do carro. A grelha dianteira e os faróis dianteiros. A disposição dos instrumentos no interior. O formato do volante. O toque dos materiais. Tudo isto foi pensado por alguém. Depois, tudo isto foi tornado possível por todo um sistema que pegou nessa ideia ou pensamento e o(a) materializou. É isto que realmente é interessante e único. O que temos à nossa frente ser efectivamente o resultado da ideia de alguém. E ser-nos possível pensar no que teria pensado essa ou essas pessoas quando começaram a rabiscar algo no papel. Magnífico.

Sem comentários: