domingo, fevereiro 22, 2015

Violência doméstica

Por estes dias soube da morte de uma actriz conhecida. Curiosamente da minha idade (40 anos). Embora não a conhecesse - nem tampouco o seu trabalho - interessou-me particularmente pelo facto de ter a minha idade e ainda pelo facto de ser conhecido um passado de violência doméstica.
Custa-me a aceitar que ainda haja este tipo de casos de violência doméstica. Muitos deles que nem sequer são conhecidos (não participados). Pelo que li eram conhecidas perseguições, havia um apoio incondicional da polícia e ainda, nos últimos tempos, o refúgio desta actriz na casa de amigas. Pergunta estúpida: Porque não houve outra acção na raíz do problema? Não me irei naturalmente alongar sobre a resposta. Apenas e só quis partilhar uma dúvida que ficou a pairar na minha cabeça. Para grandes males..grandes remédios, é o meu lema de vida. E revolta-me que não tenha havido alguém que tivesse conhecimento de tudo e não tivesse agido antes desta tragédia acontecer. Mesmo que à revelia. Paz à sua alma.

domingo, fevereiro 15, 2015

Smooth FM

Quando me perguntam qual o tipo de música que mais gosto, costumo responder que gosto de todos os estilos menos a música pimba. Naturalmente que quando responda daquela forma estou a abarcar vários estilos e géneros de música...mas é mesmo assim.
Despertei ou fiquei mais atento para o "jazz" há uns 6 ou 7 anos. Numa altura em que não entendia bem o quão apaziguador pode este estilo musical ser. Principalmente quando ouvido durante um dia de trabalho. Ou uma semana inteira. Mas é a mais pura das verdades. Creio que há 3 semanas que comecei a ouvir a "Smooth FM" que é uma rádio que passa muita música "jazz". Ou seja, passei a ouvir regularmente. E efectivamente noto melhorias significativas no meu humor e raciocínio bem mais expedito e claro. Ou seja, tudo melhor! E só pode ser para continuar, pois claro!

domingo, fevereiro 08, 2015

Aniversário do cromo

Quem me acompanha há algum tempo sabe que detesto futebol. Quem começa a ler/acompanhar agora passa a saber. Simpatizo sim com o Benfica, mas nem sequer sei o nome dos jogadores do plantel. E confesso que não tenho qualquer interesse em alocar o (pouco) espaço da minha memória nesse tipo de conhecimento.
Há 3 ou 4 dias atrás foi a data do 30º aniversário daquele que foi considerado o melhor jogador de futebol do mundo. Note-se o detalhe do "30º aniversário". Não teria outra forma de o saber se não tivesse visto, em horário nobre (almoço) um bloco noticioso apenas e só dedicado a este tão importante evento. Aliás, era incontornável, dado o destaque dado por aquele canal em que estava sintonizada a televisão do restaurante. E curiosamente, um evento mais importante do que a recusa da Grécia em pagar o empréstimo contraído com a União Europeia.
Dizem-me que futebol é cultura. Não concordo. Nunca concordei. E não é ser do contra. É ser razoável. É ter dois dedos de testa e ter um gosto diferente. Que haja pessoas que idolatrem jogadores de futebol? Acho óptimo. Que muitos adeptos fiquem doentes com a derrota do seu clube? Acho lindo. Agora...não me venham com a conversa que futebol é cultura. Cultura, para mim, é saber a História de Portugal. Dos Descobrimentos. É saber que foi D. João II e em que feitos participou para que hoje em dia possamos viver num País maioritariamente cristão católico. Mas isso não tem interesse para a generalidade das pessoas.
O pior de tudo é efectivamente a importância dada por um canal televisivo ao aniversário de um jogador de futebol. Tudo bem, o melhor jogador do mundo (e português) consigo dar de debarato. Compreendo. Mas por essa analogia...porque razão não há igual importância dada ao António Damásio? Ou ao Egas Moniz? Ou a outra qualquer individualidade que se tenha destacado pelo bem da humanidade? Isto sim é realmente importante. Não o ópio do povo.

domingo, fevereiro 01, 2015

Wi-fi gratuito

Sinceramente não consegui entender até hoje a razão pela qual não há internet gratuita em todo o lado. Lá fora - nos grandes aeroportos - é raro o que não disponibiliza internet de forma gratuita. Principalmente os aeroportos norte-americanos (ou aqueles onde os USA têm influência) têm este tipo de cultura. Num mundo global em que vivemos não faz sentido. Enfim...os bons exemplos devem ser seguidos!!