domingo, maio 17, 2015

Os jovens e a violência

Termina hoje uma semana marcada por duas notícias que atestam o quão errante pode ser o percurso de vida de alguns jovens. E desde já uma ressalva necessária....Um grupo de jovens não reflecte todos os jovens.
Começo com o vídeo (viral) do miúdo que é sovado, à vez, pelos colegas. Quando vi este vídeo pela primeira vez pensei que fosse alguma brincadeira. E confesso que não perdi mais do que 3 segundos a ver este vídeo. Pensei que pudesse acontecer algo do tipo...a dada altura o miúdo que está a ser sovado virar-se e bater com toda a força em alguém com uma barra de ferro e saltar uma cabeça. Ou outra situação qualquer que mudasse o triste (e conhecido) rumo da história. Mas não. Apaticamente o miúdo deixa-se espancar. Sem sequer mostrar qualquer vontade de se defender. Sem se debater. Sem reacção. Pessoalmente leio isto como alguém que naquele momento, naquele instante, quer morrer. Quer mostrar aos seus semelhantes que o resultado daquela perigosa brincadeira podia ser um. E que iriam carregar esse fardo para todo o sempre. Contrariamente a todas as pessoas que conheço (e que viram o vídeo até ao fim) e que opinam e comentam apenas o facto do miúdo não se defender eu enveredo por uma linha de pensamento diferente. E que, como refiro atrás, me leva a pensar que poderá ter sido uma forma de castigo que tem como "gatilho" a auto flagelação. Naquele momento, poder ter sido pensado por aquele jovem que poderia haver uma consequência que iria mudar o resto da vida daquelas outras criaturas. Mas claro não passa de uma teoria minha. E que vale o que vale. Apenas retenho que qualquer que seja o ser humano emocionalmente equilibrado e lúcido, em algum momento luta ou debate-se pela vida quando a sente ameaçada. Mesmo que tal seja inútil. E neste caso, pelo que sei, tal não acontece até ao final do vídeo. Entretanto vêm a público as opiniões dos pais como que a chamar a si a responsabilidade dos actos perpetrados pelos filhos. Vale o que vale, a meu ver. As pessoas - independentemente da sua idade - têm de ser responsabilizadas pelos seus actos. O mal está feito. Quem sabe terão sido causados danos irreparáveis neste jovem. E que não são apagados com pedidos de desculpa feitos pelos pais dos agressores. Se conscientemente agrediram outro jovem também conscientemente deverão acatar com as responsabilidades.

A questão do jovem de 17 anos que espanca mortalmente outro jovem também me deixa revoltado. Não fico apenas revoltado com (mais um) acto de violência que infelizmente culmina na morte de um ser humano. Não fico indignado por mais uma vez realizar que a justiça nunca será suficientemente severa para castigar alguém que, selvaticamente, interrompe a linha da vida de outro ser. E que depois entra num mundo fantasioso e que tenta ludibriar as autoridades. Com "sorte" ainda é declarado inimputável e passa 25 anos da sua vida na cadeia. Ou sai antes por bom comportamento..sendo que todo este período, enquanto lá estiver, é suportado pelo Estado (leia-se contribuintes portugueses). 

Não tenho muito mais a acrescentar sobre estes temas a não ser que era muito importante que era importante que houvesse jurisprudência em ambos os casos. 

Sem comentários: