domingo, março 06, 2016

Ficar em casa

Cada vez mais valorizo o tempo que passo em casa. Acaba por ser  normal e lógico, se tiver em conta as semanas de treino e trabalho que tenho tido ultimamente.
Entre o final da minha adolescência e os meus 30 anos (e qualquer coisa) saí muito à noite. E reforço o "muito". Foi um período caracterizado por muitas noitadas, muito álcool e tabaco. Seria normal que houvesse um período de descanso para recuperar.  Claro que quando se é novo, inverte-se com facilidade o quotidiano e passa-se a dormir de dia para se poder sair à noite. Quando as noitadas tinham lugar durante a semana era normal fazer gazeta às aulas da faculdade do dia seguinte e, no final, atrasei-me consideravelmente nos estudos.  
Creio ter escrito há alguns anos sobre a noite, se a memória não me falha. Não mudei muito a minha opinião. Socialmente, a noite é importante porque é a altura do dia em que as pessoas não estão a trabalhar (obviamente para quem não trabalha por turnos). Os jantares, as festas e tudo mais, acontecem de noite. É o momento do dia mais tranquilo, sem tanta pressão e em que as pessoas não têm de se preocupar (tanto) com os horários.
Não irei aqui massacrar os meus seguidores(as) falando das horas que fiquei a dever à cama. Ou seja, aquelas noitadas que fiz e em que tive de acordar cedo, comprometendo as necessárias horas de descanso. Qualquer pessoa consegue perceber isso com uma aritmética simples de adições e subtracções. Apenas para rematar....a noite envelhece as pessoas. E muito.
No presente...consigo ir jantar fora e ficar na conversa até cedo. Cedo, no meu actual conceito de horas, significa uma ou duas da madrugada, já na loucura. Mais que isso...é uma lotaria e cuja terminação passa mesmo por arranjar um local para encostar e passar pelas brasas!
Tento sempre que os jantares sejam marcados para cedo. Se tiverem lugar ao fim de semana...faço por tudo para dormir uma sesta e aguentar mais um pouco depois daquelas horas iniciais da madrugada. Nem sempre é fácil...mas tenho-me esforçado!!

Nota: Comemoramos hoje o 1000º texto publicado neste espaço. São muitos textos de opinião que ao longo destes anos foram sendo escritos. São partilhas, pensamentos e acima de tudo, sou eu mesmo. O meu muito obrigado aos seguidores(as)! E que continuem a gostar!

Sem comentários: