domingo, julho 17, 2016

Condecorações

Sou contra estas condecorações atribuídas aos jogadores da Selecção Nacional de Portugal. E especialmente por serem condecorações atribuídas a atletas que não fazem mais do que a sua obrigação. A minha verdade é esta. 
Naturalmente que aceito (mas não concordo) que haja lugar a este tipo de reconhecimento por parte do Presidente da República (PR) pelos serviços prestados pela Selecção Portuguesa de Futebol lá fora. Mas acho exagerado serem condecorados. E explico porquê.
Há um risco muito alto de as medalhas se esgotarem. Afinal não serão só 23 medalhas para os jogadores convocados (e suplentes que também merecem). Terão de ser acrescentadas medalhas para os representantes de Portugal no atletismo, no lançamento do pêso, no hóquei em patins, no remo, futebol (sub-21) e por aí adiante. Ou não serão também representações dignas de Portugal no estrangeiro? Ou serão por algum acaso actividades de somenos importância? E não ocorre a ninguém condecorações póstumas para os 3 militares da Força Aérea Portuguesa (FAP) que morreram ao serviço pela Pátria? Não estavam a beber jolas no bar da messe. Estavam em serviço.
Sinceramente, acho perigosa esta decisão do actual PR. Se por um lado, a minha apreciação é globalmente positiva deste mandato, até agora, por outro lado começo a ver algum tipo de exagero em algumas situações. Esta é uma delas. Escusada. Exagerada. E que certamente abrirá um precedente com as devidas consequências.

Sem comentários: