domingo, outubro 16, 2016

Falta de brio profissional

Consigo compreender que todos temos as nossas pressões. Ou por via de outras pessoas ou pressões nossas para cumprimento de prazos. Há sempre pressões. Até aqui tudo bem.
Mas há algo que me faz uma imensa confusão. Reside no facto das pessoas não terem brio profissional. Não serem rigorosas, exigentes. Escudam-se na falta do tempo e nas 1001 coisas que têm para fazer em paralelo. Recorrentemente avança-se com a teoria de não terem tempo para o detalhe (forma) e terem como objectivo a questão do conteúdo. Pessoalmente, entendo que a linha que separa esta aparente "falta de tempo" e a "falta de brio profissional" é muitíssimo ténue. Por vezes inexistente. E não entendo - nem tampouco aceito em contexto profissional.
Não confundir rigor e imparcialidade com mau feitio ou inflexibilidade. Não é disso que se trata. Trata-se sim de apreciar e valorizar que as pessoas - e assim eu perceba que são capazes disso - consigam produzir algo que é consentâneo com as suas capacidades. E não algo mal trabalhado ou mesmo atabalhoado. Pelo menos naquilo que me é dado a conhecer.

Sem comentários: