domingo, fevereiro 19, 2017

Derrapagem na factura oficina

As facturas da oficina são daquelas que nunca são leves. Por alguma razão, há sempre mais alguma coisa que aparece e no final, a factura, naturalmente, "engorda".
O jipe continua na oficina. A semana que agora termina foi marcada por alguns episódios, que passaram,por exemplo, pela assumpção de responsabilidade de um erro (e a devida e expectável indemnização) bem como mais uma semana de atraso na entrega do jipe. Ontem tive mesmo de ir ver o jipe. Afinal já vou entrar na 3ª semana sem o ter comigo. Calhou o meu sobrinho estar comigo e lá fomos os dois ter uma conversa com o actual mecânico.
Quando se tem uma actividade profissional relacionada com verificação de aspectos ligado à segurança aeronáutica, é normal que haja uma extrapolação, devidamente contextualizada, e determinados aspectos que surgem são vistos ou analisados tendo esse crivo presente.
Vestígios de óleo, tipicamente, sugerem que os vedantes (ou juntas) deixaram de cumprir a sua função. Afinal trata-se de um carro usado e é normal que alguns destes vedantes ou juntas careçam de substituição. Significa isto que a boa prática manda substituir os mesmos. Depois há os problemas crónicos de cada carro. O passar dos anos mostra aos fabricantes dos automóveis o que tem de ser melhorado. E ontem vi dois problemas crónicos que pedi para rectificar. É esta a razão pela qual se costuma dizer que não se devem comprar os primeiros carros de um modelo novo...Não é o caso, mas os problemas crónicos do modelo continuam cá. E vão agora ser corrigidos.
Na 6F passada tinha falado ao telefone com o mecânico acerca de algumas questões que íam encarecer um pouco a factura, face ao valor inicialmente acordado. Ontem, na visita, surgiram outras questões. E do que refiro acima, do tal crivo que utilizo nas minhas inspecções, não podia ter outra decisão que não fosse mandar reparar.
Em bom rigor, não são questões de resolução mandatória ou imediata. Contudo, entendi que o carro devia ficar mais uma semana na oficina para resolver as mesmas e assim conseguir "zerar" o histórico e começar o controlo de manutenção a partir de agora. E daí um incremento significativo do valor inicial.
No meio de tudo isto, só tenho pena que estes trabalhos não tenham sido realizados pela pessoa a quem entreguei o carro logo quando o comprei. "Engonhou" muito - atrasando em muito a entrega - e algumas coisas que fez, não foram bem conseguidas. É precisa muita paciência. Algo que nem sempre abunda por estes lados!

Sem comentários: