domingo, julho 09, 2017

Casa nova

É verdade. Depois de alguns anos sem dedicar especial atenção ao tema, decidi, recentemente, voltar à carga na questão da compra de uma casa. Sem grandes urgências e sem grandes correrias. Nas calmas.
A escolha será feita tendo por base um natural e expectável equilíbrio entre o campo racional e o campo emotivo.
A compra de uma casa, para mim, é algo que tenho como sendo um investimento. Penso que neste ponto ninguém terá uma opinião diferente. Se durante vários anos - e até há bem pouco tempo - a compra de carros revelava-se como algo prioritário e acabava inevitavelmente por realizar compras por impulso, o presente momento é outro. E a compra de uma casa passou a ter mais da minha atenção.
Emotivamente falando, creio que se aplicará um critério (entre vários) que me caracteriza. A casa tem de me dizer algo. E perspectivo que será uma escolha bem difícil. Preciso de "sentir" a casa. Ainda que seja necessário fazer obras (poucas ou muitas) preciso de "sentir" que aquele é o meu espaço e que tem potencial / margem para que eu me possa identificar. Experiência sensorial a trabalhar! Irei dando notícias! :)

Sem comentários: